Era uma vez um bordado…

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Era uma vez um bordado que se chamava ponto cruz

Isso mesmo!

Você sabia que a origem do bordado se dá com o ponto cruz, cujos registros vêm desde a pré-história onde as agulhas eram feitas de ossos e as linhas eram as tripas de animais ou fibras vegetais?

O ponto cruz era utilizado para costurar os trajes feitos de pele de animais, ao contrário do bordado que conhecemos atualmente que ornamenta toalhas entre outros tecidos. 

Há também relatos de que o bordado seja tão antigo quanto a humanidade e que tenha sido aplicado há 30 mil a.C.

No início do século XX, surgiu o bordado feito em máquina de costura doméstica – reta a pedal – e na década de 50 surgiu o bordado em máquina de costura zig-zag industrial, que garantia uma produtividade maior, mas exigia do bordador grande habilidade e agilidade, pois o movimento do bastidor tinha que ser feito de forma manual.

Graças à evolução tecnológica no mundo, na década de 80 surgiram as bordadeiras eletrônicas profissionais e industriais que possuíam softwares de criação, o que permitiu uma maior produtividade com redução de tempo e facilidade no trabalho.

E como um bom final de conto de fadas…não poderia faltar a frase “e foram felizes para sempre”!

Neste caso faremos uma pequena adaptação! “Que todas as bordadeiras sejam felizes para sempre”, porque cá pra nós, bordar é bom demais não é mesmo?

Ainda mais com a ajuda de máquinas cada vez mais tecnológicas que produzem bordados computadorizados lindos!

E se você está à procura de uma super máquina para bordado computadorizado não pode deixar de conhecer nossa loja: https://loja.deltabordados.com.br/

Temos máquinas das melhores marcas do mercado como Bernina, Brother e Janone Elna! Confira! =D

Fonte: SEBRAE.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.